Beleza e Saúde

Beleza e Saúde

Dr. Fabio Alex
Deixo bem claro que esta pagina deste site esta destinada ao esclarecimento de seus usuários e todas as pessoas que dele utilizar. Tem nele um pouco do meu dia a dia. Deixo ainda a lembrança, de que os resultados obtidos em cirurgias, como pálpebras, liftings, lipoaspiração e os procedimentos estéticos e dermatológicos, como preenchimentos, toxina e outros, podem não ser iguais para todos os que são submetidos a estes e, que variantes são esperadas; diferenças de resultados podem ocorrer, tempo de recuperação e a resposta de cicatrização, podem ser diferente para cada paciente. O que se é colocado nesta pagina, nos livros, bem como em outros sites é o esperado e o que encontramos na maioria dos pacientes.
Dr.º Fabio Alex - CRM 91205

  Doenças de pele típicas do inverno – pelo Dr.º Fabio Alex

Doenças de pele típicas do inverno – pelo Dr.º Fabio Alex

11 de junho de 2010

Com a chegada do inverno, nada melhor do que falar sobre as doenças de pele que se destacam nesta estação do ano. Ao contrário do que nós pensamos o inverno é uma época onde a pele é um alvo quase certeiro, principalmente para aqueles que não se cuidam. Este artigo fala sobre as doenças de pele no inverno e alguns cuidados que devemos adotar para evitá-las. Veja como curtir o friozinho gostoso do inverno livre das indesejáveis doenças de pele.

Culturalmente falando, nós já fomos adaptados, durante o verão, a não nos esquecermos de cuidar da pele; isso não quer dizer, no entanto, que no inverno podemos esquecer-nos desses cuidados. O tempo frio também é um grande inimigo da pele e o descuido pode gerar doenças dermatológicas sérias.
Erroneamente boa parte da população brasileira acredita que as doenças de pele se manifestam mais no verão. Grande engano dos que pensam assim. O frio do inverno aliado a banhos quentes e longos, roupas pesadas e diminuição da exposição ao sol, é responsável pelo surgimento ou agravamento de muitas doenças de pele, entre elas, as dermatites de contato e alérgicas, eritema pérnio, o fenômeno de Raynauld, urticária ao frio, dermatite seborréica e psoríase entre outras.

Os banhos quentes (o grande vilão do inverno), o contato com tecidos sintéticos ou lã e o vento, retiram a camada de proteção natural da pele, que fica mais vulnerável. Em contato com produtos irritantes, a pele apresenta alterações, como coceira, descamação, vermelhidão, ardência, dor, inchaço e rachaduras ou fissuras, que caracterizam as dermatites.

Essa camada de gordura, o “manto lipídico”, é essencial para manter a hidratação da pele e ajuda na proteção contra a penetração de bactérias e fungos. Seu enfraquecimento deixa a pele seca e mais sujeita a coceiras e alergias. Além disso, áreas como virilha, axilas e pés ficam vulneráveis a infecções.

Unhas, cabelos e lábios também precisam de atenção. No frio, os lábios ressecam e partem, precisando de hidratação. O cabelo é especialmente maltratado por causa da combinação água quente e secador. As unhas, muitas vezes negligenciadas, enfraquecem com a desidratação e podem quebrar e descamar. Toda vez que você sente sua mão seca, suas unhas também estão secas. Por isso, ao passar um hidratante, não se pode esquecer-se delas. As unhas são também uma importante porta de entrada de infecções.

Se as micoses são os problemas dermatológicos mais comuns do verão, no inverno são outras doenças que se destacam.

Psoríase

A sintomatologia da doença é a aparição de placas avermelhadas com escamas grossas e brancas, principalmente nos joelhos, cotovelos e couro cabeludo. Algumas vezes, ela atinge as articulações, o que remete a um quadro mais grave. De causa genética, ela se agrava dependendo de alguns fatores ambientais, como o frio.

Não há maneiras de evitar a doença, já que ela surge de uma predisposição genética, associada a fatores ambientais, hábitos entre outras causas. É uma doença que não tem cura, mas pode ser controlada. A dica é se precaver. Um pouco antes de o tempo esfriar é importante começar um tratamento de hidratação intensiva com cremes específicos.

Eritema Pérnio

O eritema pérnio está ligado à má circulação sangüínea e atinge as áreas que ficam mais expostas ao frio, como o rosto e as mãos. Causa edema, vermelhidão e coceira. No inverno, é importante que as pessoas se protejam, usando luvas, aquecendo a casa, evitando exposição ao vento, usando cremes e até tomando algumas medicações que visam melhorar a circulação sangüínea.

Fenômeno de Raynauld

No chamado Fenômeno de Raynauld, a doença se manifesta em três estágios. No primeiro momento, a pele fica branca, depois roxa e, no fim, avermelhada. Isso acontece num intervalo curto de tempo. Entre os sintomas está a apresentação de extremidades frias e ardência, estando freqüentemente associadas a doenças reumatológicas.

Urticária

A urticária ao frio acontece rapidamente, apresentando placas edematosas, que provocam inchaço na pele. O problema acontece com maior incidência nas áreas que ficam expostas, mas podem ocorrer em qualquer parte do corpo, causando coceira e ardência. O ideal é se aquecer, tomar medicação antialérgica e evitar a exposição ao frio.

Dermatite seborréica

Trata-se inflamação crônica da pele que surge em indivíduos geneticamente predispostos, tratando-se, portanto de manifestação constitucional. As erupções cutâneas características da doença ocorrem predominantemente nas áreas de maior produção de oleosidade pelas glândulas sebáceas.

A causa da dermatite seborréica é desconhecida, mas a oleosidade excessiva e um fungo (Pityrosporum ovale) presente na pele afetada estão envolvidos no processo. A maior atividade das glândulas sebáceas ocorre sob a ação dos hormônios androgênicos, por isso, o início dos sintomas ocorre geralmente após a puberdade. Nos recém nascidos também podem ocorrer manifestações da doença, devido ao androgênio materno ainda presente.

Para entendermos melhor a pessoa que tem dermatite seborréica , normalmente tem sempre caspas em couro cabeludo, nas sobrancelhas e fica com a área central da face mais avermelhada e as vezes com crostas. A região atrás das orelhas também é acometida.

A dermatite seborréica tem caráter crônico, com tendência a períodos de melhora e de piora. A doença costuma se agravar no inverno e em situações de fadiga ou estresse emocional.

As manifestações mais freqüentes ocorrem no couro cabeludo e são caracterizadas por intensa produção de oleosidade (seborréia), descamação (caspa) e prurido (coceira). A caspa pode variar desde fina descamação até a formação de grandes crostas aderidas ao couro cabeludo. A coceira, que pode ser intensa, é um sintoma freqüente nesta região e também pode estar presente com menor intensidade nas outras localizações.

Dermatite atópica

A atopia é uma doença adquirida por herança genética que, na pele, causa lesões inflamatórias: a dermatite atópica ou eczema atópico. A pessoa que sofre de atopia, além da dermatite atópica pode apresentar asma ou rinite alérgica. É freqüente encontrar histórico de uma destas doenças nos familiares.

A dermatite atópica é uma das mais comuns, uma alergia crônica, bastante comum em crianças, que ocorre por uma deficiência de hidratação do organismo. Ela causa coceiras e até lesões mais sérias, que podem formar crostas e soltar secreções.

A dermatite atópica é talvez a forma mais comum de eczema. This is a hereditary skin problem that often begins in childhood as chapped cheeks and scaly patches on the scalp, arms, legs, and torso. Este é um problema de pele hereditária que muitas vezes começa na infância como as bochechas “rachadas” e escamosas no couro cabeludo, braços, pernas e tronco. Later in childhood, atopic dermatitis may affect the inner aspects of the elbows and knees. Mais tarde, na infância, a dermatite atópica pode afetar com mais freqüência o interior dos cotovelos e joelhos. Adults get atopic dermatitis on the hands, around the eyelids, on the genitals, as well as on the body as a whole. Os adultos têm dermatite atópica nas mãos, em torno das pálpebras, nos órgãos genitais, bem como sobre o corpo como um todo.
Medidas preventivas
Para evitar esses e outros incômodos, seguem algumas dicas:

  • Evitar banho com água quente demais e demorados demais

  • Usar sempre hidratante (logo depois do banho, com o corpo ainda úmido, é o ideal, pois a absorção fica mais fácil);
  • Não deixar o protetor solar de lado, mesmo no frio (dar preferência para os que contêm hidratante no inverno);
  • Se secar sempre muito bem, especialmente nas áreas mais sujeitas a infecções, com uma toalha macia, para facilitar sempre se lembrar das áreas das dobras como axilas, face posterior joelhos, pés, mãos e virilhas;
  • Para alérgicos, evitar o contato de roupas de lã diretamente na pele: use uma camiseta de algodão por baixo.
  • Evite se ensaboar demais e não use bucha, isso retira a hidratação natural da pele. Prefira sabonetes suaves, “hidratantes”.
  • Se tomar 2 banhos por dia, ensaboe o corpo todo em apenas 1 deles.  No outro, só ensaboe as áreas de dobra de pele (axilas, regiões inguinais e nádegas).
  • Beba bastante água e coma frutas, legumes e verduras.

Resumindo então para que aproveitemos o inverno em excelentes condições:

Evite excesso de sabonete; evite banhos muito quentes e demorados, pois eles removem a barreira natural de proteção e modificam o PH da pele; evite o contato direto da pele com fibras sintéticas e lãs.

Recomenda-se usar uma malha fina de algodão entre a pele e esses tecidos; use o filtro solar também no inverno; use uma boa loção hidratante todos os dias após o banho, principalmente nas extremidades; não fique passando a língua nos lábios porque a saliva possui substâncias digestivas que agridem o lábio e causam rachaduras e até mesmo herpes, use muito protetor labial ou ate manteiga de cacau ao invés disto. Depois disso tudo é só fazer o que se tem de mais gostoso, que é aproveitar do inverno!


Em Doenças,Pele e Comentários (18)


Compartilhe:


Link:

18 Comentários para “Doenças de pele típicas do inverno – pelo Dr.º Fabio Alex”

  1. Nadia disse:

    Muito interessante a matéria, certamenete irei me prevenir com cremes e hidratantes, mas que difícil não se entregar a um banho bem quente!

  2. Anderson Zei disse:

    muito apropriada a materia, visto que em nossa região decaiu a temperatura bruscamente. Momento adequado para compartilhar o conhecimento e previnir tais doenças
    parabens dr. fabio alex

  3. Fabiana Delmondes disse:

    Dr. Fábio

    Mais uma otima matéria. Excelente!

    Tenho uma pele muito sensível e ressecada e nesse frio tenho que redobrar os cuidados.

    Obrigada.

    Beijos

  4. dr fabio alex disse:

    Deixo aqui uma formulação que acho excelente para hidratação do corpo:

    Óleo de semente de uva 5%
    Óleo de amêndoas 5%
    Uréia 10%
    Creme hidratante qsp 100g
    Essência a seu critério

  5. Vanda Brandalise disse:

    Gostei muito da sua abordagem especialmente as recomendacoes sobre uma boa hidratacao,esquecer dos longos banhos quentes e prestar atencao em como esta a pele do corpo visto que no inverno estamos sempre cobertos.
    Muito bom.

  6. ELENICE MARIA GOI disse:

    Parabéns pela matéria ficou execelente. Abraços

  7. Margarida disse:

    Muito boa a matéria, estava precisando mesmo de orientação, estou com alergia a lã, mais uma vez obrigado.

  8. Erika disse:

    Olá Dr. Fabio, muito oportuno seu artigo. A apartir de agora evitarei os banhos excessivamente quentes e darei atenção especial à hidratação pós banho. òtima dica a do corpo úmido que absorve melhor o hidratante! Parabéns e muito obrigado. Já estou ansiosa para ler o próximo artigo.
    Abraço,
    Erika

  9. Fabiana Delmondes disse:

    Obrigada pela formula, você é muito atencioso.

    Beijossss =)

  10. Elly disse:

    Olá, dr. Fabio.
    os articos são ótimos. Já estou ansiosa pelos outros.
    Beijo grande

  11. Sônia Alves disse:

    Dr. Fábio. Nossa… não imaginava que o “inverno” era tão prejudicial! Sempre passei para o “verão” todas as “culpas” aos problemas de pele. Tenho que mostrar esse artigo urgente para meu marido que fica “horas” no banho!!! Muito oportuno! Você como sempre arrasando com seus artigos! Beijos gaúchos ao mestre da estética.

  12. Débora Filócomo disse:

    Parabéns pela matéria…

    Ficou ótima!!!!

    Beijos

  13. ceci maria ferraz disse:

    Muito interessante como sempre!
    Já mandei fazer o hidratante.
    Parabéns.

  14. Thais H Prati disse:

    Recentemente tenho lido seus artigos os quais tem me acrescentado sempre mais e mais informaçoes super utéis e praticas .Legal tb a dica do hidratante.
    Qto ao sabonete qual vc recomendaria ? Em barra ou liquido ?
    Abs,
    Thais

  15. Dr. Fabio Alex disse:

    Ola Thais em primeiro lugar agradeço suas palavras e sua leitura dos artigos. Respondendo sua pergunta, nao existe sabonete que limpa e hidrata ao mesmo tempo, se ouvir isso em alguma propaganda: FUJA DELES. Os melhores sabonetes para banho sao aqueles que possuem um pH neutro( nao acido e nao basico), que é o mais proximo do ph da pele, que é levemente acido; potanto seria interessante usarmos sabontes que fossem neutos e os melhores sao os liquidos.
    Por exemplo sabonetes liquidos de glicerina, sabonetes de bebe que tem ph otimo pra pele, sabonetes em barra de glicerina tambem sao uma excelente pedida. LEMBRAR QUE SABONETES DE COLORAÇAO VERDE E OS AMARELOS SAO OS QUE MAIS CAUSAM ALERGIAS.
    Espero ter esclarecido sua pergunta. Abraços e continue nos prestigiando

  16. Selma disse:

    Adorei a matéria, me fez refletir, tomo banhos quentes e demorados.
    Provavelmente explique a sensibilidade de minha pele.
    Obrigada pela fórmula do hidratante.
    Beijo grande e até a próxima.

  17. Gleice disse:

    Nossa faço tudo errado, tomo banho quente e demorado, depois coloco qualquer roupa pra nao passar muito frio. Terei que mudar meus habitos.
    Muito bom o artigo!

  18. Eli disse:

    Meu Deus!…Quanta coisa faço errado…Tenho problemas sério de pele, principalmente no inverno…tomo banho quente d+ e ñ uso hidrantante diariamente e nem filto solar…Obrigada pelas informações…Agora sei que preciso me cuidar e vou fazer tudo pra ser feliz, também no inverno…Apesar de odiar o frio…Ótimo o artigo!…

Mais em Doenças, Pele (29 de 37 )